quarta-feira, 1 de fevereiro de 2006

Ano novo em fevereiro

Chegando o novo mês, me propus voltar a escrever. Esperava ansiosamente por fevereiro, mesmo sabendo que seu início inclui muitas contas a pagar, pois janeiro chegou cheio de tropeços. No primeiro mês de 2006 deu para perder um emprego, perder a bolsa para o mestrado e perder uma pessoa querida da família. Mas como me disse, semana passada, uma colega de trabalho, depois de janeiro vem fevereiro, e março e abril...
A decepção e frustração e a tristeza continuarão morando em seus devidos lugares em meu coração, porém devo deixar a casa principal para a esperança e a vontade de realizar meus sonhos e, mais importante, a vontade de continuar a sonhar.
Como diz o ditado “não há mal que sempre dure, nem bem que nunca acabe”, mas com jeitinho o bem se estabelece definitivamente e o mal, esse sim, é bom que não dure mesmo.
Já que não deu o mestrado, vamos a uma especialização; já que perdi um emprego, procuro outro e já que perdi alguém, guardo no peito as bonitas recordações e no corpo o calor de seus abraços.
A vida continua e é ótimo poder viver. Não importa que a cada esquina esteja uma desilusão, nem que cada sorriso venha seguido de uma lágrima; não há nada mais belo que saber levantar a cabeça e, resolutamente, dizer “olá” para a vida.
Que fevereiro possa ser o mês de minhas realizações, de minhas novas descobertas e de crescimento, como tem sido cada dia desde que nasci.

Nenhum comentário: