quarta-feira, 7 de dezembro de 2005

Resoluções

Está chegando a época das resoluções. É assim a cada final de ano. Além de um balanço minucioso do que fomos e fizemos durante todo o ano que se esvai, também listamos o que gostaríamos para o próximo.
Seja fazer o tão sonhado (e adiado) regime, seja passar no vestibular. Talvez algo mais drástico como uma plástica no nariz, ou iniciar um diário.
Seja o que for o certo é que todo mundo se promete algo. Na maioria das vezes a gente não cumpre nem a metade. Mas o ano novo é isso aí mesmo: esperança de mudança. É conseguir sacudir a poeira dos ombros e embarcar em outra. Em outra viagem, em outra amizade, em outra experiência psicodélica. Talvez um novo amor, um novo trabalho, uma outra atitude. Não importa.
O bom mesmo é desejar mudar e crer que se é capaz de mudar e, principalmente, fazer de tudo para conseguir a mudança.
Eu desejo tantas coisas para o próximo ano: minha bolsa para o mestrado, mais aulas na escola em que trabalho, ver mais meus amigos, estar mais perto de quem amo, paparicar mais meu marido. Sei que o janeiro será maravilhoso, o fevereiro também, mas quando o março chegar não garanto nada. Por isso, vou tentar viver intensamente enquanto posso. Vou amar mais, abraçar mais, dormir mais, e, mesmo contra todos os argumentos da balança, vou comer mais, sem culpa.
Afinal, é ano novo, vida nova, cheiros e sabores novos. E mesmo que as paredes continuem da mesma cor, as flores continuem a morrer em meu jardim, meus cds cheguem a estourar de tanto tocarem, o ano será novo, cheio de esperança em que é possível ser feliz. Basta querer, mesmo que o Lula caia e o dólar chegue a cinco reais. Caminhar de mãos dadas continua de graça e há outros presidenciáveis mais bonitos.
É isso aí: como resolução de ano novo vou me obrigar a viver, viver a partir de hoje, sete de dezembro. Afinal, pra que esperar pela vida?

Um comentário:

Levi disse...

Muito bem Ane!!! Continue assim. Texto bem interessante. Continuemos vivendo e aprendendo uns com os outros.

Abraços.
Levi Nauter