quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

Quem mandou pedir

Ao terminar o ano de 2008, sei que desejei para mim e para todos os meus queridos, novos desafios para o novo ano que estava chegando. Creio que quando temos coisas novas nas quais pensar e pôr nossa energia, tudo ao nosso redor, até o que sempre nos pareceu antigo, se renova, ganha outra cor, outros ares.
Para mim, esse ano está começando melhor do que a encomenda. Desafios não me faltarão para rechear 2009.
Conseguimos, enfim, começar a terminar nossa casa. Já estamos na fase mais gostosa. Escolher as tintas, pensar em redecorar algum móvel, inovar nas cortinas. Temos andado por aí e observado tudo. Esperamos que até abril possamos estar habitando os novos cômodos e nos deliciando com o cheiro, a textura e o clima dos novos ambientes.
Minha irmã caçula acaba de comprar um terreno próximo a minha casa, onde construirá sua nova residência. Isso, sim, foi uma surpresa. Bela surpresa, pois ela morava em outra cidade. Ficando mais próximas fisicamente, sei que nossa união aumentará. Cada uma respeitando o espaço e o tempo da outra. Entendendo os “nãos” e os “talvez”.
Além de tudo isso, tenho fortalecido alguns contatos, antes só profissionais. Creio estar ganhando amizades preciosas para minha vida.
Entrei na academia, não de Letras, mas de musculação. Esse é o tipo de coisa que sempre quis fazer, mas nunca tive coragem de começar. Agora, aos trinta, bateu a coragem (ou a necessidade). Há um mês me acabo na esteira e em outros aparelhos todos os dias.
Na carreira, nada mais inusitado e desafiador: darei aulas para a educação infantil e as séries iniciais do ensino fundamental. Além das séries finais, serei rodeada de picorruchos me chamando de maestra. Trabalhar língua estrangeira com crianças pequenas é a maior provocação da minha história profissional.
Ainda em férias, estou me vendo às voltas com E.V.A., tesoura, colas coloridas e hidrocores. Confeccionando bichos, elaborando pomares, pensando estratégias, comprando CDs infantis em espanhol (sim, eles existem!), lendo e relendo meus materiais de ensino. Além de turmas (quinze, ao todo) diferentes, também se trata de uma nova escola. Nova proposta educativa, novo projeto pedagógico, novos colegas, nova estrutura. Eu poderia estar em surto, mas estou eufórica e louca para começarem as aulas.
Esse ano realmente está prometendo muito trabalho, muito estudo e nova visão para meus dias. Terei que reorganizar meu tempo para dar conta de três escolas, uma média de trinta turmas, alunos dos 4 aos 65 anos, que preenchem vagas da educação infantil aos cursos técnicos.
Desejei e tenho visto meus desejos sendo realizados. Desafios não me faltarão para esse ano. E eu, como sempre, estou adorando essa ideia.

Um comentário:

Laura disse...

Desafios estes, amiga, que darás conta! Porque és capaz de muito mais e também por seres merecedora!

PARABÉNS, novamente, por este início de 2009.

Te adoro! Beijos, beijos e beijos.