sábado, 16 de agosto de 2008

Pensamentos no ar

30/07/2008 - 10:17h - a 8000 metros de altura - 880 km/h

Novamente, me encontro em um avião. Dessa vez, o destino não é o nordeste brasileiro, mas um país que, apesar de próximo, não tem fronteira com o Brasil.
Chile é um sonho antigo, revigorado nos últimos meses pela preparação de sua concretização.
Amo viajar, conhecer outros lugares, explorar outras culturas, mas a viagem em si, o vôo, não deixa de me atormentar.
Meu marido tem a mania de contar o número de pessoas que embarcamm e também, como mecânico de avião, de saber todas as especificações técnicas da aeronave e me falar de cada uma delas. Isso pode ser interessante para um apaixonado por aviões como ele, mas para mim supera a irritação. Na hora da decolagem, pelo menos, sempre peço silêncio.
Já em pleno ar, me deixo levar pelo som que sai do MP3, Vanessa da Mata falando do tempo, e me controlo para não ficar o vôo todo olhando o relógio. Até Buenos Aires são quase duas horas e eu sou obrigada a confiar na competência de um desconhecido para me levar até lá em segurança.
Penso em como somos frágeis em nossa humanidade. Um erro e mais de 170 pessoas vão pelos ares, literalmente. E penso, também, em como momentos como este nos expôem a essa fragilidade, agora tão sentida.
Com o passar dos minutos, vou me acalmando. Em pleno vôo, curtindo meu suco de goiaba e rabiscando estas linhas, sinto que meu coração está em paz. Confio cegamente naquele que guia este avião, naquele que tem guiado toda a minha vida e sei que está me proporcionando estes dias de férias com meu marido para serem eles inesquecíveis.
Presentes são ofertados com amor pelo Pai bondoso que temos. O medo, a ansiedade e receios não devem jamais nos impedir de recebê-los e desfrutá-los com gratidão.

Um comentário:

cmhochmuller disse...

Oi, Ane!
Passei para deixar uma dica de dois filmes que, para mim, são essenciais: A festa de Babete (filme dinamarquês) e Gandhi (filme de 82 e vencedor de 9 Oscar).
Depois me conta o que tu achou!
Beijão!