quinta-feira, 2 de outubro de 2008

Aula e poesia

Hoje, durante a aula que ministro de Comunicação para alunos de Administração e Contabilidade, vivi um raro prazer. Final de bimestre, dia de avaliação, 35 cabeças inclinadas sobre um texto, silêncio.
Eu, me sentindo um tanto inútil, pois é o momento de mostrarem que não precisam de mim, estava absorta na concentração deles. Trabalhar com adultos em cursos profissionalizantes tem essa vantagem: interesse.
O dia hoje foi quente, portanto quando uma brisa suave mexeu as cortinas foi um alívio. Mas mais do que isso. Enquanto os neurônios trabalhavam, a noite foi amenizada pela música. Sim, havia alguém tocando sax nas proximidades da escola e o som, juntamente com o vento leve, proporcionou a todos um breve momento de poesia.
Não deixaram de realizar a tarefa solicitada na folha de prova, mas pareceram mais tranqüilos, mais seguros, mais em casa.
Tudo por uma música de um saxofonista anônimo. Tudo por um pouco de brisa na alma.

3 comentários:

Anônimo disse...

Boa noite, prof: Querida!
Desculpe-me é claro que uma brisa suave mexe com as pessoas ainda mais com música isso e verdade tenho certeza que seus alunos ficam tranqüilos.
Mas você pode ter certeza que com uma professora maravilhosa qualquer aluno terá um pouco de brisa na alma, não tenho palavra para descrever você.
Tenho certeza que você é muito amada por sua família e todos que estão a sua volta, pois pessoas assim só pode ser muito amada.
Bjsssssssssssss

Suzan Borba

Kelli Pedroso disse...

Foi uma bênção. Ainda mais por ter sido de um saxofone. Beijo!

Liliana Barsante disse...

Prezada Ane,
antes de tudo, preciso apresentar-me: fui colega de faculdade do Levi, na Ulbra. E seguido acesso os textos dele, através do qual cheguei ao teu.
Na hora identifiquei-me com tua linguagem e observações acerca das minúcias do dia à dia, dos alunos...da poesia que adentra uma sala por instantes e areja nosso interior.
Saudações e sinta-se convidada para visitar minhas linhas também.
Liliana.